domingo, 18 de fevereiro de 2018

POESIA - METRO QUADRADO - THIAGO LUCARINI

Muitos oferecem amor escravo,
Preso a correntes e repressão.
Só conhecem apertadas celas
Espaço por metro quadrado
E quando o prumo do açoite falta
Perdem a noção, pois são
Guiados por medo e opressão.
Em cárcere não há nobre quilate
Sem dó arranque no toco os dedos
Daqueles que ousarem te podar.

POESIA - PROFILÁTICO - THIAGO LUCARINI

Permita-se quebrar-se, chorar,
Sofrer, berrar, errar, fazer cagada,
Dar murro em ponta de faca.
Somente assim, adquirirá anticorpos
Contra burrices futuras próprias
Ou más intenções alheias.
Antes doer profilaticamente
Algumas poucas vezes
A ser trouxa uma vida inteira.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

POESIA - FLORES NO FURACÃO - THIAGO LUCARINI

Algumas flores confundem
O abuso indolente do furacão
Com implacável e estrondoso amor.
Esquecem-se do prazer de uma brisa,
Da sutileza dos ventos do fim de tarde
Ou mesmo da estabilidade atemporal
De um dia sem qualquer movimentação.
O erro aqui é crer no exagero, na rotação
De distorção que faz o coração das flores
Aceitarem a dor como símile ao amor.

POESIA - FRASCO DE APARÊNCIAS - THIAGO LUCARINI

Para ter excelso perfume,
Cego, macerei minhas flores
Ignorando suas súplicas de ficar.
Quão obscuro foi-me achar
Um quintal pelado, sem jardim,
A pele vermelha exposta à ausência.
Agora me resta o perfume fraco
Condensado num frasco de aparências
E nenhum motivo para perfumar.

POESIA - ATOLEIRO - THIAGO LUCARINI

De repente, todo o caminho
Perde o sentido de horizonte.
Não há vaga-lumes para guiar-me,
Amor para esperar, alegria a vir,
Estrelas reconfortantes a brilhar.
Tão somente pedras espalham-se
Diante dos meus pés escuros.
Choro sobre as pedras na esperança
Que derretam e virem frágil lama
Para assim, eu atravessar sem feridas
O mole atoleiro equivalente de mim.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

POESIA - HIPERBÓLICO - THIAGO LUCARINI

Tenho um coração hiperbólico
E o seu exagero me condena
A achar no olhar vestígios irreais.
Vejo-me envolto nos teus braços
Morando no infinito dos teus lábios
Sendo de relevância ao teu coração
Sendo mais que uma presença esperada
Sendo meu nome tua palavra especial,
Porém feito de hipérbole nada aqui é real.

POESIA - OLHOS LIMPOS - THIAGO LUCARINI

Estou correndo para os teus braços
Feito nuvem que ruma à frente do Sol.
Sou assim, de loucura e precipitação,
E quando eu chover terei cumprido
A missão de me desfazer sobre você
Tendo teus olhos limpos como mar por lar.